Hoje tinha tudo pra ser mais um dia normal de trabalho. E seria, se de fato o gerente da nossa conta na empresa não tivesse voltado de férias. Ele adora sacanear a empresa, particularmente a mim. Não, isso não é uma crise de egocentrismo, é fato. Esse ódio comigo vem desde quando comecei, em algum lugar fiz alguma coisa que não devia... Eu juro que não sou malvada, somente se ironia for maldade. Creio que não é, ela é necessária. Mas enfim, vamos aos acontecimentos.

Cheguei no banco com um cheque pra sacar, um cartório e uma DARF pra pagar com o dinheiro do cheque. A proposta era simples, sacar o cheque e pagar as coisas. O problema começou quando vi que o cheque não estava assinado atrás, logo, como estava em nome da empresa, não podia ser sacado sem a assinatura atrás, somente se eu assinasse pela empresa. CONFUSO NÉ? Aprendi tudo isso esse ano, aliás, que saco essa burocracia toda. OMG'.

Prometo que não envolvo mais vocês em burocracias, vou poupar-lhes os detalhes técnicos.

O plano pra me safar dessa encrenca era me fazer de louca. Algo tipo "Ahhh não assinaram o cheque atrás, que coisa, não?". Rezei pra que me chamassem num dos caixas "amigos". Fui chamada num caixa amigo, pero no mucho. Não deu certo. Liguei pra patroa, ela disse que era pra mim falar com o gerente. Ele fica lá no segundo andar. A toca do ratinho, como eu diria. Subi.

Quem me atendeu foi outro cara, ele disse que o gerente da conta estava em reunião. Sinceramente, dei graças a Deus. Ele autorizou o cheque, mas não tinha saldo. Uns "arquivos" tinham sido repassados, mas estavam aidna a serem liberados. Tempo de espera estimado: meia hora. HA HA HA.

Fui no correio, comprei uma Coca Cola e me sentei na praça. Dali a quarenta minutos eu voltei. Ainda não estava liberado. Perguntei pra ele se tinha ideia de quanto tempo demoraria ainda. Mais meia hora, talvez. Me sentei num banco onde ele pudesse me ver. Ele me avisaria quando estivesse liberado o maldito arquivo. Me sento, abro o livro e continuo a leitura. Tava chegando numa parte legal, estou lendo "A Menina Que Roubava Livros". Fantástico, mas enfim, estava falando da cara de babaca do gerente? Não, estava começando a contar que ele me chamou. Fui a mesa dele e, com a maior cara de coitado, me diz que o sistema caiu. Pronto, agora fudeu, eu pensei. Disse que o cheque era importante, não podia sair dali sem ele. Ele disse que eu poderia esperar ali mesmo... Abri o livro e continuei a ler na cadeira em frente a mesa dele. Ocupando qualquer possibilidade dele atender outro cliente. É sacanagem que tu quer, amigo? Toma.

Quase uma hora depois eu ouço alguém gritar lá do outro lado "VOLTOU!". Sim, quem voltou foi o sistema, e não a Dercy Gonçalvez ou o Michael Jackson, não se animem. Fecho a porcaria do livro. Eu já estava bem irritada. Ele começa a fazer eu sei lá o que no computador e me deu um ataque de tosse tremendo. Gente, eu tossi tanto... HA HA HA. Tô calma, eu juro. Mas eu não estava calma naquele momento, acho que meu ataque forjado de tosse o induziu a fazer logo aquela "perna" pra aceitar o arquivo.

"Tu não vai poder sacar, moça." O que? Eu não vou? Ah, eu vou sim! Tu vai ver se não vou! Ah...

Claro que não foram essas as palavras. Ele me disse um monte de burocracias que não entendi. Podia jurar que estava me enrolando só pra ver minha cara de confusa. Me esforcei pra entender, mas a voz daquele homem é irritante demais pra se prestar atenção... Desci puta da cara, passei a porta giratória e liguei pra minha patroa. Ela deu uns berros no telefone e disse: "Não sai daí, eu já resolvo!". Eu tive pena dele, é sério. HA.

Meia hora depois ela me liga de volta. Cacete, perdi uma tarde inteira nessa brincadeira. Tudo certo, eu poderia sacar a merda do cheque e pagar as contas miseráveis. Detalhe, eram cinco horas. Eu não podia mais entrar no banco. Fiz sinal pro guarda lá dentro e ele veio. Comecei a fazer mímica e ele apontou pro telefone ali do lado. Oba, comunicação civilizada finalmente. Falei, falei, cantei, trovei o tiozão e nada. Não podia entrar. Nisso, desce o sr gerente, pedindo o cheque, dizendo que ele ia sacar pra mim. Olha que fofura.

Os colegas dele estavam começando a ir embora, e ele estava lá sacando meu cheque. Acredito que deva ter feito o mais rápido possivel pra poder ir embora logo. Vinte e poucos minutos depois ele volta com o dinheeiro. E eu já tinha pensado numa vingança, mas fiquei bem quieta. Ele me entregou o dinheiro e eu fiz uma cara de tonta: "Tu paga pra mim, eu ia pagar no banco, mas não pude entrar..." e estendi minha DARF pra ele. Ele me odiou. Ele odiou ter feito aquilo, pois eu bem podia ter pedido antes. Agora ele ia ter que abrir o caixa de novo só pra pagar aquilo. E se não pagasse pra mim, minha patroa ia ligar de novo... já viu, né?

Voei pro cartório, paguei aquela miséria e me fui pra firma. Faltavam uns quinze minutos pra encerrar meu expediente (*-------*). Daí me lembrei que tinha me esquecido de levar folhas A4 pro outro prédio, e tinham me enchido o saco por ter me esquecido. Peguei dois pacotes de 500 folhas e voei (não de vassoura, ok?) pro outro prédio. Dois pacotes são pesados e a mochila estava cheia, foi um dia de azar mesmo. Só sei que quando cheguei na firma, a primeira coisa que a fofa da sala do lado fez foi perguntar "E as folhas de ofício?". E eu gritei, educadamente, de volta "Aqui tem 1000 folhas de ofício pra ti agora! Usa todas!". Minha patroa riu e perguntou se ela pretendia se limpar com as folhas. E todas rimos.

11 comentários.:

Ivan Sgarabotto disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Drika disse...

é, a tendência é piorar...
omg'

dia 20 já ta aí de novo...

KarLa disse...

A quanto tempo tu já esta de Office Girl Drika??

Ivan Sgarabotto disse...

...um bom tempo, ja deve estar fazendo aniversario de Office Girl Drika, rsrsrs.

[que metido]

Drika disse...

Ivan, alguém perguntou pra ti?
Que coisa, menino!

Desde fevereiro, Karla.

KarLa disse...

Ivan, TOMA!

saodasodkasodkosadk


bah, tempinho já Drikah... mas tirando essas coisas da vida, que acontecem.... tu gosta de lá?

Drika disse...

Na boa mesmo, eu gosto de lá.
Recebi uma outra proposta de emprego, mas não aceitei.

Tá, me chingaram já, minha mãe nem sabe, mas eu não vou trabalhar num escritorio de advocacia, sendo que nesse meu emprego eu tenho mil regalias, que não vou ter no outro. E nesse emprego eu me visto como eu gosto, com a roupa que eu quiser, no outro não! E nem ia mudar muita coisa no salário...

Ok, não me chinguem vcs tbm.

KarLa disse...

Eu gosto do meu também...
e faço sua as minhas palavras: em relação a ser chingada, -também já fui-, tenho certas regalias, o que por exemplo, os outros estágiários que a minha chefa não manda - aí é outra chefa- não tem, e também posso me vestir como quero. Bah! é bem cansativo, confesso, chego em casa podre, mas acho que não trocaria por algum outro.

Ivan Sgarabotto disse...

entre tapas e beijos.....

e eu nao tenho regalias, hehe, MAS está perfeito menos o dia de hoje, OMG.

Rafael Henrique disse...

Deve ser legal ser office alguma coisa!

Drika disse...

auh4eauehauheuaheuaheuaheuhauehauehaue

é bem legal Brunetto. Dependendo de como é a empresa que tu trabalha, as coisas sao bem divertidas e tu nao tem uma ordem certa. Claro que é puta perigoso brincar com dinheiro na mochila e tal, mas leva na paz qe não dá nada XD

mas nao pretendo ficar nessa por mto tempo...

Postar um comentário

Tua vez de falar agora!

Subscribe