22:31

Coisas da Vida...

Postado por: Drika |

Hoje eu atendi um cliente que era igual ao meu ex.


Eu juro.


Não era igual só fisicamente. Digamos que eu acreditei, seriamente, que era um clone mais velho dele que estava na minha frente. Me deixe explicar. O cara era igual tanto fisicamente, como na personalidade. Ele chegou no balcão, todo pretensioso e arrogante, dizendo que nós deveríamos refazer um serviço [se é que realmente havíamos feito tal serviço] senão ele iria nos processar e etcéteras. O típico cara que acha que o universo inteiro conspira contra ele, que a vida é uma grande pegadinha do Gugu e que as pessoas acordam pela manhã e dizem: hoje é dia de irritar o fulano.

Foi ele entrar por aquela linda porta de vidro que eu me arrepiei de cima abaixo.
Foi ele abrir a boca que eu apertei a caneta com a maior força que eu tinha.

De nojo.

Eu estava ali, educada, trabalhando e atendendo a todos com a maior boa vontade. Quando o assunto é trabalho, eu raramente tenho preguiça ou má vontade. Não tratei ele mal, de forma alguma. Fui completamente paciente com ele, expliquei passo a passo o que estava escrito na garantia que ele devia ter lido, mas mesmo assim, ele continuava duvidando. Ora, vejam só, mais uma coincidência. Foi então que chamei o moço que fez o bendito serviço, pois eu explicaria uma vez só, já que era tão simples e direto e, não havia mais o que dizer. O moço explicou TUDO DETALHADAMENTE. Ele baixou o tom de voz pro moço, mas ainda queria que fosse testado tal equipamento na frente dele, pra ele ter certeza. Com mais boa vontade que eu, ele fez muitos testes e observações na frente dele. Explicou tudo, pela segunda vez, terceira, aliás, pois eu já tinha explicado pra ele, mas ele ainda duvidava.

O fato é que ele foi embora com a bolinha bem baixa. O ego lá no chão. Aquela pretensão toda que ele tinha quando entrou pela porta, algo como "eu vou lá pra fazer eles me ouvirem e blá blá blá" foi toda pro ralo. E eu ri. Ri tanto. Mas tanto. Que estou rindo até agora. Como é possível eu ter comparado um simples cliente que eu havia tido contato há meia hora, com alguém que eu acredito [ou pelo menos julgo] ter conhecido bem?



Acho que estou trabalhando demais.

4 comentários.:

Natureza disse...

Realmente... coisas da vida.

A gente pensa que a história acabou, que nada de mais bizarro pode acontecer e záz, vem a Dona Vida e apronta essas drogas com a gente... ¬¬

Natureza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LADY DARK ANGEL disse...

ACHO Q DEVE TER SIDO AS LEMBRANÇAS

adriane disse...

Pois é!

Postar um comentário

Tua vez de falar agora!

Subscribe